Login



Colheita de feijão
Ter, 08 de Agosto de 2017 08:09

Setor de mecanização do Campus Muzambinho conclui colheita de feijão com produção de cerca de 200 sacas.

No dia 03 de agosto, chegou ao fim o processo da colheita do feijão, realizada pelo setor de Mecanização Agrícola com apoio dos alunos da instituição.

Segundo o Coordenador do setor, Carlos Eduardo Machado, o processo de colheita teve início em 26 de julho e participaram da colheita aproximadamente 15 funcionários e 10 alunos do Laboratório de Educação e Produção de Culturas Anuais, do Grupo de Estudos em Agropecuária (GEAgro) e de estudantes das disciplinas práticas de Culturas Anuais e Mecanização Agrícola com as turmas AGRO_F, AGRO_G e PMA3Z4, conduzidas pelos professores Ariana Vieira Silva, Gustavo Rabelo Botrel Miranda e Joana Diniz Rosa Fernandes.

                 20170801 140523 DSC 0092 menor

Ainda segundo, Carlos Machado, foi necessária a participação dos alunos porque a primeira etapa da colheita do feijão não permite a utilização de máquinas. “O cultivar não se adapta a colheita mecanizada, pois devido a forma da planta arbustiva, as máquinas podem danificar o produto". A segunda etapa do processo de colheita envolveu uma máquina colhedora de cereais jumil.

Foram produzidas cerca de 200 sacas de feijão do tipo Carioca Pérola, em 8 hectares do IFSULDEMINAS – Campus Muzambinho. Essa produção será destinada para cobrir a demanda refeitório da instituição e para comercialização no posto de vendas da COOPAM.

Segundo a nutricionista responsável pelo refeitório do Campus, Tathiana Damito Baldini, o refeitório utiliza 30 quilos de feijão por dia, para oferecer cerca de mil refeições a alunos, funcionários e visitantes.

2017 08 07 PHOTO 00000011 2

A professora Ariana Vieira Silva é a responsável técnica pelo plantio do feijão e promove o envolvimento dos alunos em todo o processo. Segundo a professora, "a semeadura do feijoeiro foi realizada no dia 06 de abril com a cultivar da Embrapa BRS Pérola do grupo comercial carioca, na ordem de 40 kg/ha de sementes, sendo estas tratadas com o inseticida Cropstar na dose de 700 mL/ha. Foram utilizados no plantio 250 kg do adubo formulado 8-28-16/ha e mais 250 kg/ha de 30-00-10 em cobertura aos 20 dias após a emergência, através da recomendação realizada pelos discentes José Gabriel Salomão, Jéssica Cunha Lage, Higor José Hipólito Ribeiro e Lucas Aparecido Minóz do edital de incentivo à formação empreendedora em laboratórios de educação e produção. Aos 27 dias após a emergência foram aplicados os herbicidas em pós-emergência Flex e Fusilade, ambos na dose de 1 L/ha.

Ainda segundo Ariana, "a adubação foliar foi no dia 25 de maio com Duo Orgânico na dose de 3 L/ha e 15 dias após foi realizada a aplicação preventiva do fungicida Amistar na dose de 100 g/ha".

Dessa forma, o plantio do feijão do Campus contribui, não somente com projetos de pesquisa e com o aperfeiçoamento das habilidades práticas dos alunos, como também com a autossuficiência do Campus quanto a alimentação ofertada no refeitório.

Para 2018, há o projeto de alteração do tipo de feijão para o Carioca Estilo. Segundo Carlos Machado, será feita uma licitação para esse novo tipo de semente que pode ser implantada com um cultivar 100% mecanizado.

TEXTO: Tatiana de Carvalho Duarte

FOTOS: George L. Silva

Carlos Eduardo Machado

Tatiany O. F. Dias

Théo Podestá

Confira as fotos da colheita:

 

 

Ankara Escort,cayyolu escort,

//